Carta Viva | Revista Graça/Show da Fé
Na prateleira – 300
11/07/2024
Ele atenderá ao clamor
11/07/2024
Na prateleira – 300
11/07/2024
Ele atenderá ao clamor
11/07/2024

Castigo completo


E a tornarei em deserto; não será podada, nem cavada; mas crescerão nela sarças e espinheiros; e às nuvens darei ordem que não derramem chuva sobre ela (Is 5.6).

Quando o cristão, servo de Deus, começa a se desviar do seu chamado, o Altíssimo logo lhe dá avisos dos quais jamais se esquecerá. Por que deixar a nossa missão e praticar aquilo que a Bíblia condena? Depois, ao vermos como essa desagregação nos fez mal, dizemos que não entendemos as razões de o Senhor não nos ter protegido dos infortúnios. Ora, fomos avisados de que o maligno jaz à porta (Gn 4.7; Tg 4.4), mas a fascinação do mundo nos inebria, e, por causa dela, gastamos tempo e deixamos a santidade.

O GRANDE ERRO – A vida de muitos irmãos se tornou um deserto, pois, há um tempo, eles nada recebem do Senhor. Caso continuem rebeldes, a situação ficará pior. Adão comeu do fruto e provou do castigo anunciado, morrendo espiritualmente – separado de Deus. Pelo que, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, por isso que todos pecaram (Rm 5.12). Não estávamos vivos no dia em que Adão pecou, mas a separação de Deus é real para todas as pessoas do mundo, pelo fato de descenderem do primeiro homem. Assim, o ser humano se tornou pecador devido ao ato praticado pelo nosso patriarca no jardim do Éden (Gn 3).

Foto: Arte sobre foto de Stas / Adobe Stock

Depois, ao vermos como essa desagregação nos fez mal, dizemos que não entendemos as razões de o Senhor não nos ter protegido dos infortúnios. Ora, fomos avisados de que o maligno jaz à porta (Gn 4.7; Tg 4.4), mas a fascinação do mundo nos inebria, e, por causa dela, gastamos tempo e deixamos a santidade

A Bíblia diz que a morte reinou de Adão até Moisés, o qual recebeu a Lei de Deus (Rm 5.14). Esta separou para o Senhor todos os nascidos naquele período, quando alguns se deram ao Altíssimo com muito esforço e Lhe serviram zelosamente. Exemplo disso foi Enoque, o sétimo depois de Adão, pela linhagem de Sete (Jd 1.14). Antes desse Enoque, existiu outro da linhagem de Caim (Gn 4.17). No entanto, aquele nasceu do justo Jarede e foi especialíssimo: E andou Enoque com Deus; e não se viu mais, porquanto Deus para si o tomou (Gn 5.24). Deus deu atenção especial a esse Enoque, pois ele foi nobre em sua fé no Todo-Poderoso, andando de modo irrepreensível. O Pai eterno nos dá as condições de, um dia, vivermos no Seu Reino, por meio do sangue de Jesus que nos purifica de todos os pecados (1 Jo 1.5-9).

É fundamental entender o que o Espírito Santo nos diz que temos de viver para Deus: Assim também vós considerai-vos como mortos para o pecado, mas vivos para Deus, em Cristo Jesus, nosso Senhor (Rm 6.11). Não importa como você se percebe diante do Senhor, pois o sentimento nada tem a ver com o significado do sacrifício do Salvador. Por isso, temos de nos considerar vivos para Deus em Cristo. A fé no Filho de Deus nos liga ao Pai celestial. Tendo aceitado Jesus e a Sua obra, não podemos crer em nada diferente da Verdade.

Entenda: nada pode nos desligar do Filho, porque O recebemos em nossa vida ao crermos no que Ele realizou para nos assegurar um lindo futuro eterno (Rm 8.35-39). Fomos premiados com esta revelação: Mas a todos quantos o receberam deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus: aos que creem no seu nome (Jo 1.12). Se esse poder está em nós, jamais seremos separados do Senhor. Não fomos a Cristo por sorte ou de qualquer maneira, como Ele mesmo ensinou: Tudo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora (Jo 6.37). Somos parte da Nova Aliança que fez Jesus vir ao mundo e morrer em nosso lugar. Estamos eternamente ligados a Ele. Que glória maravilhosa!

Foto: Tinnakorn / Adobe Stock

O Pai eterno nos dá as condições de, um dia, vivermos no Seu Reino, por meio do sangue de Jesus que nos purifica de todos os pecados (1 Jo 1.5-9)

Não importa a tentação que bata à sua porta, nunca ceda a ela. Alguns aceitam uma oferta do diabo, dizendo ser irrecusável. Eles se referem, por exemplo, a alguém que cobiçaram, mas, sendo casados, jamais poderiam trocar o primeiro olhar. Depois, a paixão os toma, fazendo-os se sentirem no direito de trair seu cônjuge. Esse pecado os tirará das mãos do Senhor e os fará cair nas do adversário (2 Tm 2.26). Deus espera que eles caiam em si e se consertem. Ao perceberem que não têm mais o favor divino, precisam se arrepender e confessar suas transgressões, desfazendo o pacto com o inimigo. Desse modo, serão recebidos por Deus, assim como o filho pródigo o foi pelo pai (Lc 15.11-32). Nada anula o pecado, a não ser o arrependimento e o retorno ao antigo estado matrimonial, selado na presença do Altíssimo.

Um dos truques do Inferno para manter você debaixo da ira de Deus é convencê-lo de que o seu sentimento por tal pessoa é algo muito bom, parecendo que encontrou a sua metade. Porém, a Bíblia diz diferente: Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça (Rm 6.14). A desculpa colocada pelo diabo na sua frente nada representa diante da Palavra do Senhor; afinal, você ainda está debaixo da graça. Se você estiver em situação semelhante, livre-se de tudo agora. A felicidade eterna vale mais do que qualquer oportunidade para pecar. Deus o ama e deseja libertá-lo. Seja firme e se chegue ao Único digno de ser chamado de Pai.

O versículo que estudamos nesta mensagem fala que a sua vida se tornará um deserto, quando a sentença de Deus se cumprir. Então, verá o quanto é destrutivo servir ao maligno. Além de dores e doenças que ele, certamente, colocará no seu corpo, na sua alma e no espírito, até o pão você mendigará, se é que já não esteja nesta fase de que tratam as Escrituras: Porque por causa de uma mulher prostituta se chega a pedir um bocado de pão; e a adúltera anda à caça de preciosa vida (Pv 6.26).

Foto: Black Brush / Gerado com IA / Adobe Stock

Somos parte da Nova Aliança que fez Jesus vir ao mundo e morrer em nosso lugar. Estamos eternamente ligados a Ele. Que glória maravilhosa!

TAL COMO A VINHA – A vinha no deserto será improdutiva, por isso não será mais podada. Por que deixar o Manancial de águas vivas e cavar cisternas rotas? Veja o que Deus diz: Porque o meu povo fez duas maldades: a mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retêm as águas (Jr 2.13). Quem cuidaria de uma vinha cuja terra é seca? Volte correndo à comunhão com o Senhor para viver e ver as Suas maravilhas se derramarem pelos seus lábios! Em Deus, há mais do que você vê ou imagina, esperando para lhe dar a alegria de ser usado por Ele. Creia e viva!

Jesus declarou que o Seu Pai é o Agricultor: Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador (Jo 15.1). Temos o poderoso Agricultor para cuidar da nossa vida, mas, se não frutificarmos como planejado, Ele nos adverte: Toda vara em mim que não dá fruto, a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto (Jo 15.2). Ore e se acerte na Palavra enviada, a fim de permanecer na Videira. O Senhor disse por intermédio do profeta Jeremias: Porque eu bem sei os pensamentos que penso de vós, diz o SENHOR; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que esperais (Jr 29.11). O que você fará?

A RECUPERAÇÃO DA VIDEIRA – O Altíssimo nos compara à Sua videira, a qual precisa ser podada para que dê frutos excelentes. Para isso, Ele nos chama à reconciliação. Quem se recusar a ouvi-Lo será alvo da Sua ira e, depois que acabar o seu tempo na Terra, viverá no lugar de desespero de onde nunca sairá. A recuperação da videira, da qual se retiram os galhos secos e imprestáveis, é o retrato da sua vida, se você quiser ser feliz para sempre. Deus usará os meios necessários para você voltar a florescer. Um deles é cavar junto à videira e colocar “adubo” na terra, a fim de avivar a planta. Se isso não acontecer, sarças e espinheiros trazidos pelo vento logo começarão a trazer males ao seu redor, provando que foi abandonada pelo Agricultor. Ainda há tempo de se arrepender!

Foto: Rostislav Sedlacek / Adobe Stock

A recuperação da videira, da qual se retiram os galhos secos e imprestáveis, é o retrato da sua vida, se você quiser ser feliz para sempre

Misteriosamente para nós, as nuvens não mais derramarão água sobre a videira rebelde e traiçoeira. O Senhor declara que dará ordens às nuvens para não derramarem chuva sobre ela. Essa é a pior coisa que pode acontecer, pois nunca mais se tornará produtiva, e o seu fim será tenebroso, só prestando para ser lançada ao fogo (Hb 6.4-8). Não brinque com as determinações de Deus para sua vida. Os chamados devem fazer as mesmas obras realizadas por Jesus (Jo 14.12).

Infelizmente, muitas pessoas enfrentarão problemas sérios no tribunal de Cristo, por agirem com irresponsabilidade (2 Co 5.10). Ele teve um árduo trabalho para dar ao homem liberdade, por isso busque o perdão de Deus (2 Co 5.20). Nada impedirá o diabo de agir na sua vida, caso você continue a ser uma videira ruim, negando o convite do Senhor e produzindo uvas de má qualidade, bem diferente do propósito do Todo-Poderoso. A decisão é sua!

Deus é o justo Juiz e nunca erra. Temos de aprender com o profeta que usou essa parábola para dar uma lição preciosa a Israel, a qual serve para nós, a vinha do Senhor hoje. Possivelmente, estamos errando da mesma forma que os israelitas erraram. Jamais se torne um terreno árido, onde a vinha não prosperará nem será podada. O fim do homem rebelde será triste! Precisamos amar a Deus e dar a Ele a nossa juventude e força, para que o Seu Reino seja engrandecido como Ele planejou!

O Pai nos incluiu no Seu Reino, então agradeçamos e ocupemos esse lugar idealizado por Ele para quem ama a Sua casa. Sarças e espinheiros não podem crescer entre as vides formosas e cuidadas pelo Senhor. Anseie pela chuva para dar boas uvas!

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *