Entrevista | Revista Graça/Show da Fé
Medicina e Saúde – 276
01/07/2022
Foto: Arquivo Graça

Sem fronteiras

Líder da IIGD na Argentina defende que a Igreja precisa estar presente tanto nas ruas quanto nas plataformas virtuais

Por Patrícia Scott

O Pr. Anselmo Battistella, 47 anos, está à frente da Igreja Internacional da Graça de Deus (IIGD) na Argentina há mais de uma década. A partir da sede na capital, Buenos Aires, o trabalho atinge aquela região metropolitana e outros estados do país. Em 2020, durante a pandemia da covid-19, o líder, sua esposa, a Pra. Nádia Battistella, 47 anos, e seus filhos (Daisy, 22, e Victor, 18) enfrentaram, sem esmorecer, a rigorosa quarentena realizada em território argentino – considerada a mais longa do mundo.

Mesmo impedida de se reunir presencialmente, a Igreja avançou, com reuniões on-line, lives diárias e outras iniciativas via internet, objetivando manter o povo de Deus conectado e alimentado por ela. A iniciativa frutificou mais que o esperado, com o estabelecimento de oito Igrejas virtuais na Argentina, e outras duas fora do país: na Colômbia e em Myanmar, no Sudeste da Ásia. A Igreja na província de Corrientes, na cidade Paso de Los Libres, começou virtualmente e hoje tem um templo físico. “Os argentinos são receptivos ao Evangelho. São pessoas que pouco conhecem as Escrituras Sagradas, mas estão abertas para aprender sem discriminar”, informa o pastor, o qual, nesta entrevista à Graça/Show da Fé, revela como o trabalho da IIGD tem impactado a Argentina com as Boas-Novas por diversos meios.

Quais estratégias a IIGD utiliza para impactar os argentinos com o Evangelho?

Fazemos convites àqueles que passam na porta das Igrejas e temos grupos de evangelismo que atuam nas praças e de porta em porta. No entanto, a grande ferramenta de evangelização é o Show da Fé, o qual alcança todos os dias mais de 300 mil casas, além das redes sociais, que têm muita força.

Como é o trabalho da Igreja junto às crianças e aos jovens?

Temos estruturado as salas para atender do maternal até crianças com 12 anos de idade com atividades nas três reuniões de domingo. Nos outros dias da semana, as mães podem ficar com os bebês e, ao mesmo tempo, assistir ao culto. As professoras que cuidam das crianças maiores de três anos seguem o mesmo programa do Crianças Que Vencem (CQV) da IIGD do Brasil. Com os jovens, nossas principais armas são as visitas nas casas dos membros, quando procuramos alcançar os filhos e netos dos que frequentam a Igreja. Utilizamos as redes sociais e fazemos contato telefônico com os telespectadores do Show da Fé. Dessa forma, damos orientações, principalmente aos jovens com problemas sentimentais e drogas. Temos também um auditório exclusivo para que a mocidade possa se reunir dentro das instalações da Igreja.

O senhor criou um aplicativo para atendimento pastoral. Como funciona?

Durante a pandemia, as pessoas precisavam ser atendidas por um pastor. Diante da impossibilidade de estar sempre na Igreja ou de alguém receber visita pastoral, criamos o app Smart Pastor. Com um simples toque no celular, como um botão de pedido de socorro, a pessoa sinaliza à Igreja que precisa de atendimento pastoral. Esse aviso vai imediatamente para o celular de todos os pastores da IIGD na Argentina. Aquele que estiver disponível atende. Hoje, já temos pouco mais de cinco mil pessoas de mais de 20 países que utilizam esse app. Muitos que se encontravam em estado terminal ou à beira de cometer suicídio foram socorridos. Deus fez milagres! No app, é possível assistir aos cultos transmitidos ao vivo e enviar doações.

É verdade que nasceram Igrejas a partir do aplicativo?

À medida que o número de seguidores cresceu nas lives, nos cultos on-line e no app, percebemos que, em alguns lugares, podíamos dar uma assistência regionalizada. Então, propusemos às pessoas de determinadas regiões a realização de cultos especiais semanais pelo [programa de videoconferência] Zoom, ministrados por um pastor, com transmissão veiculada também pelo Facebook. Abrimos uma página da IIGD especialmente para a região. Os membros que congregam a distância participam de um grupo de WhatsApp exclusivo para serem alimentados diariamente com mensagens. É um projeto que está somente começando, mas que pode produzir muitos frutos ao redor do mundo. 

Como o senhor vê o crescimento da Igreja na Era Virtual?

Não há mais como separar a igreja física da virtual, pois uma está relacionada à outra. A física pode nascer de um bom trabalho virtual feito por um pastor, assim como uma igreja física já estruturada pode se tornar ainda mais forte se tiver dedicação ao ministério a distância. Temos de preparar nossos pastores e obreiros para o atendimento virtual, pois parte do futuro das igrejas está nesse trabalho.

Quais são os principais desafios e as conquistas da Igreja da Graça na Argentina?

Entre os desafios, está a preparação de obreiros e pastores para cuidar desse grande rebanho que Deus tem nos dado, a partir do Show da Fé e das redes sociais. Há 24 estados na Argentina, mas temos igreja física em apenas três. As pessoas estão esperando. À medida que formarmos esses ministros de Deus, poderemos enviá-los. Entre as conquistas, podemos citar o bom nome que temos no país. Muitos ministérios têm trazido escândalos para a obra do Senhor. Na Argentina, não é diferente, mas, graças a Cristo, a IIGD tem expressado um bom testemunho, o que nos permite manter as portas abertas no principal canal de televisão do país. Isso nos dá a responsabilidade de conquistar toda a Argentina para Jesus. Também podemos destacar a compra de um dos maiores cinemas da América Latina, onde está a nossa sede. Deus tem entregado mais do que pedimos ou pensamos para a IIGD Argentina.

Anselmo Battistella
Pastor e líder da IIGD na Argentina

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.