Teologia | Revista Graça/Show da Fé
Nação de fé
24/06/2024
Consolo e esperança
24/06/2024
Nação de fé
24/06/2024
Consolo e esperança
24/06/2024
Foto: Renat Hismatulin / Gerado com IA / Adobe Stock

Oposição ao Messias

Pastores avaliam a manifestação do espírito do anticristo nos dias atuais como sinal inequívoco da proximidade da volta de Jesus

Por Patrícia Scott

Atos de vandalismo contra igrejas cristãs estão aumentando nos Estados Unidos. Segundo um recente relatório do Family Research Council (Conselho de Pesquisa da Família, em tradução livre), uma organização sem fins lucrativos que defende os valores cristãos, houve 436 incidentes de depredação a templos nos EUA somente em 2023. O número é o dobro do relatado em 2022 e oito vezes maior do que ocorreu em 2018, primeiro ano de realização do estudo. Ao comentar sobre o texto, o evangelista norte-americano Franklin Grahamdeclarou em suas redes sociais: Não há dúvida de que há um espírito do anticristo no mundo hoje.

O evangelista norte-americano Franklin Graham declarou em suas redes sociais: Não há dúvida de que há um espírito do anticristo no mundo hoje
Foto: Divulgação / BGEA

De acordo com a Palavra, a pessoa que nega a verdade do Evangelho está à mercê da influência maligna: Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? É o anticristo esse mesmo que nega o Pai e o Filho (1 Jo 2.22). Na mesma epístola, o apóstolo escreve: E todo espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que está já no mundo (1 Jo 4.3). O discípulo adverte ainda acerca da existência de muitos anticristos, identificando-os como os que abandonaram a fé genuína e, consequentemente, desgarraram-se da Igreja, deixando de seguir o verdadeiro Messias: Filhinhos, já é a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também, agora, muitos anticristos têm surgido; pelo que conhecemos que é a última hora. Eles saíram de nosso meio; entretanto, não eram dos nossos; porque, se tivessem sido dos nossos, teriam permanecido conosco; todavia, eles se foram para que ficasse manifesto que nenhum deles é dos nossos (1 Jo 2.18,19). “Esse espírito caracteriza todo aquele que se opõe a Jesus, moldando-se ao sistema mundano, que será palco da personificação do mal”, explica o Pr. Jessé Odilon Rodrigues, da Igreja Tua Graça & Vida, no Centro de Arujá (SP), município da Região Metropolitana de São Paulo (SP).

O Pr. Jessé Odilon explica: “Esse espírito caracteriza todo aquele que se opõe a Jesus, moldando-se ao sistema mundano, que será palco da personificação do mal”
Foto: Arquivo pessoal

No estudo da Escatologia – das doutrinas relacionadas ao fim dos tempos –, essa figura é frequentemente vinculada à besta descrita em Apocalipse 13.11-18. A passagem faz alusão a uma fera poderosa, que será capaz de enganar a humanidade. As Escrituras também definem anticristo como o filho da perdição movido por um espírito contrário a Deus, conforme 2 Tessalonicenses 2.3,4: Ninguém, de maneira alguma, vos engane, porque não será assim sem que antes venha a apostasia e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição, o qual se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus.

“Última cartada” – Nesse contexto, o Pr. Niger Silva Martins, da Igreja de Nova Vida – Ministério É de Deus, em Cascadura, zona norte do Rio de Janeiro (RJ), lembra que o anticristo agirá na força de Satanás, não somente como opositor, mas também tentando ser um substituto do Messias. “Será uma espécie de encarnação do diabo.” Entretanto, o cristão precisa estar certo de que esse inimigo de Deus será destruído pela manifestação da vinda de Jesus, em majestade e glória. “O Senhor o matará com um sopro pelo esplendor da Sua vinda”, informa o pastor, fazendo referência ao texto: E, então, será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca e aniquilará pelo esplendor da sua vinda (2 Ts 2.8).

O Pr. Niger Silva Martins lembra que o anticristo agirá na força de Satanás, não somente como opositor, mas também tentando ser um substituto do Messias: “Será uma espécie de encarnação do diabo”
Foto: Arquivo pessoal

Quando se fala desse homem da iniquidade como uma figura singular relacionada à besta, o Pr. Jair Almeida Júnior, mestre em Ciências da Religião e Novo Testamento, afirma que sua aparição será um sinal da volta iminente de Jesus e a “última cartada do diabo”, que lutará contra o Pai e Seu Filho até o fim: “Semelhantemente a Satanás, o anticristo moverá as nações, unificará o mundo, contra Deus e Cristo. É inevitável que isso aconteça, mas a Igreja precisa estar preparada, porque esse tempo está próximo”, assegura.

Almeida salienta que existem especulações de que a chegada desse personagem trará grande prosperidade ao planeta: “O ímpio quer exatamente isso, porque não está interessado em certo ou errado, e sim em ser beneficiado. Então, paulatinamente, os conceitos corretos, a ética e os valores cristãos serão deixados de lado”, prevê o pregador, assinalando que haverá a promoção de uma sociedade sem Deus e uma igreja anticristã.

O Pr. Jair Almeida afirma que a aparição do anticristo será um sinal da volta iminente de Jesus e a “última cartada do diabo”, que lutará contra o Pai e Seu Filho até o fim
Foto: Arquivo pessoal

Ele também ratifica a ausência do filho da perdição na Terra, mas alerta que os sinais de sua vinda são notórios: “Muitas leis e muitos comportamentos hostis aos cristãos já estão sendo implantados, e o cristianismo está sendo banido da sociedade”. O pastor aponta que, para alguns estudiosos, não haverá comunidade de fé nesse período – uma visão da qual discorda. “Exatamente o oposto, será aberta, pujante e presente na sociedade, mas apóstata”, reforça. Em contrapartida, a verdadeira Igreja se reunirá secretamente e será perseguida de modo severo: “Os cristãos serão mortos”, sublinha o ministro.

O evangelista Paulo Patrocínio, da Assembleia de Deus Ministério Monte Sião, em Belford Roxo (RJ), na Baixada Fluminense, concorda com o Pr. Jair Almeida Júnior. “A Igreja sofrerá intensa perseguição. Essa fase é conhecida como a Grande Tribulação. Haverá guerras, fomes, pragas, pestes e desastres naturais”, enfatiza o servo de Cristo, destacando que Deus, indignado, “derramará Sua ira sobre o pecado e a iniquidade”.

O evangelista Paulo Patrocínio afirma que a Igreja sofrerá intensa perseguição: “Essa fase é conhecida como a Grande Tribulação”
Foto: Arquivo pessoal

Amantes de si mesmos – Na opinião da Pra. Cláudia Sabath, da Igreja Internacional da Graça de Deus (IIGD) em Jardim Balneário Meia Ponte, em Goiânia (GO), quem anda em comunhão com Deus “precisa ser sóbrio e vigilante”. Para fundamentar esse pensamento, ela cita 1 Pedro 5.8: Sede sóbrios, vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar.

Quanto à apostasia dos últimos tempos, da qual o apóstolo Paulo escreve em 1 Timóteo 4.1,2 (Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios, pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência), Sabath crê que as pessoas serão convidadas a viver um cristianismo descompromissado: “Elas acharão difícil cumprir o que Cristo conclama em Mateus 16.24,25 [Então, disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz e siga-me; porque aquele que quiser salvar a sua vida perdê-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim achá-la-á.]. Não haverá limites nem valores, como honestidade, moralidade, respeito, santidade e temor. Existirá uma falsa liberdade, aquela que produz benefícios temporários, mas que, ao final, acarreta grandes perdas”, garante ela.

A Pra. Cláudia Sabath afirma que quem anda em comunhão com Deus “precisa ser sóbrio e vigilante”
Foto: Arquivo pessoal

A pregadora ressalta que os sinais para a chegada do perverso são evidentes em nossos dias: “Esse caminho está sendo preparado. A lei está corrompida, e a apostasia se faz presente na Igreja. Os homens se tornaram amantes de si mesmos”, assegura, mencionando parte do texto bíblico registrado em 2 Timóteo 3.1-9: Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos; porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te. […] Não irão, porém, avante; porque a todos será manifesto o seu desvario, como também o foi o daqueles.

Apegar-se à Palavra de Deus é o remédio para o cristão se blindar dos ensinamentos do anticristo, aconselha o Pr. Renan Soares, líder regional da IIGD em Vilhena (RO). Assim, julga fundamental estudar a Bíblia regularmente, buscar o conselho de líderes espirituais maduros que preguem a Verdade, cultivar a comunhão com o Senhor por meio da oração e meditação da Palavra, além de estar em unidade com os irmãos para crescer espiritualmente. Para o ministro, se o servo de Deus não seguir essas orientações, os ensinamentos do enganador e o anticristo (2 Jo 1.7) podem gerar dúvidas e divisão no Corpo de Cristo, levando a pessoa a se desviar do Caminho: “Por isso, é crucial que os cristãos estejam atentos e firmados na Verdade, que é Jesus, para evitar que caiam em armadilhas espirituais”, disse ele, referindo-se a 1 João 2.18 (Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos; por onde conhecemos que é já a última hora).

Foto: Parinwat Studio / Adobe Stock

Cumprimento das profecias – O Pr. Benjamim Morais, da Igreja Batista Nova Vida em Uberaba, na cidade de Curitiba (PR), afirma que, segundo o Texto Sagrado, a besta reunirá o poder dos antigos reinos da Babilônia, Pérsia e Grécia – grandes opositores do povo de Deus: “Apesar das teorias que envolvem quem será o anticristo, mais que uma personalidade, ele será um sistema, que terá características política, religiosa e, principalmente, ideológica”. Desse modo, apesar de não descartar uma personalidade suprema que encabece o processo, o pastor pensa que tal liderança apontará para algo maior: um grupo ideológico mundial avesso a Cristo, à verdade e à Igreja.

O ministro batista ainda recorda que, desde o período apostólico, têm aparecido diversas frentes com esse mesmo objetivo de dominação. Entretanto, nos últimos tempos, surgirá uma iniciativa com maior sagacidade e sem qualquer escrúpulo que arrebatará muitos. Se possível, enganará até os eleitos, tal como advertiu Jesus em Mateus 24.24: “Assim como Jesus, que operava milagres para confirmar Sua divindade messiânica, o anticristo, empoderado pelo dragão [Ap 13.2], realizará sinais miraculosos a fim de espalhar engano entre os povos. Ele usará argumentos ideológicos e talvez até a ciência”, explica.

O Pr. Renan Soares aconselha: apegar-se à Palavra é o remédio para o cristão se blindar dos ensinamentos do anticristo
Foto: Arquivo pessoal

Para Morais, as ideologias mentirosas e os falsos milagres serão a fonte de poder desse ente inspirado pelas trevas: “Somente os selados com o Espírito Santo e firmados na verdade bíblica serão protegidos da mentira”. O pastor acrescenta: “Todo milagre que não aponta unicamente para a suficiência e o senhorio de Cristo é satânico”. Segundo o líder, o anticristo terá o propósito de enganar e induzir a apostasia para que se cumpram as profecias: “Quem não tiver o selo do Espírito Santo se curvará à besta (Ap 13.8). Do mesmo modo que Jesus implantou Seu Reino na Terra, o anticristo tentará implantar seus intentos entre as nações.”

O Pr. Benjamim Morais afirma que, segundo o Texto Sagrado, a besta reunirá o poder dos antigos reinos da Babilônia, Pérsia e Grécia – grandes opositores do povo de Deus: o anticristo será “mais que uma personalidade, ele será um sistema”
Foto: Arquivo pessoal

Benjamin Morais, bem como vários líderes evangélicos em todo o mundo, observa que o aumento da intolerância ao cristianismo parece ser um sinal da implantação de um sistema anticristão, preparatório para o surgimento desse ser maligno, cujos objetivos são desconstruir a Verdade e implantar uma ideologia própria. “Isso estará presente em todas as esferas da sociedade: na política, na religião, na indústria do entretenimento e na educação, promovendo a promiscuidade, a corrupção e a perseguição àqueles que creem na verdade de Cristo”, conclui Morais.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *