Carta Viva | Revista Graça/Show da Fé
Palavra dos Patrocinadores – 254
01/09/2020
Jornal das Boas-Novas – 254
01/09/2020
Exibir tudo

Carta Viva – 254

LIBERTOS PARA SEMPRE


E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que, pela morte, aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo (Hb 2.14).

Não há razão para o povo de Deus viver amedrontado com as ameaças do império das trevas, com receio de que, a qualquer hora, algo possa lhe acontecer. Segundo o versículo citado acima, Satanás, o chefe das forças infernais, foi aniquilado por Jesus. Não é possível que a Igreja continue desprezando tal declaração, enquanto passa por sobressalto. Repito: o maligno já foi vencido e destruído pelo nosso Salvador!

O diabo só opera nas pessoas que não foram informadas da realidade espiritual e, por isso, sujeitam-se aos caprichos dele. Como pode o Corpo de Cristo submeter-se a quem foi destruído pelo Senhor na Sua morte? Precisamos pregar a Verdade. A libertação dos males vem com o conhecimento dela: E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará (Jo 8.32).

Foto: Arquivo Graça / Rodrigo Di Castro

Como pode o Corpo de Cristo submeter-se a quem foi destruído pelo Senhor na Sua morte? Precisamos pregar a Verdade. A libertação dos males vem com o conhecimento dela: E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará (Jo 8.32)

O PREÇO DA NOSSA LIBERTAÇÃO – Para que o Filho de Deus Se tornasse o Autor da nossa salvação, Ele Se despiu das prerrogativas divinas que possuía com o Pai e nasceu aqui entre nós. A palavra encontrada nas Escrituras para descrever a vinda de Jesus é forte: Mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens (Fp 2.7). Ele deixou Sua glória e o Pai, veio à Terra como homem, igual a nós, porém sem pecado, uma vez que a semente que O gerou não era do homem, e sim do Espírito Santo (Lc 1.30-35). Ele declarou Quem era ao contar aos judeus a reação do patriarca deles ao ver o Seu dia: Abraão, vosso pai, exultou por ver o meu dia, e viu-o, e alegrou-se (Jo 8.56). E isso ocorrera dois mil anos antes de o Messias nascer em Belém.

O preço da nossa salvação foi altíssimo. Além de Jesus ter vertido Seu sangue em nosso favor, Ele levou as nossas enfermidades, carregou as nossas dores e sofreu o castigo que nos traz a paz (Is 53.3-5). Deixar de reivindicar essas bênçãos é como falar que Ele padeceu inutilmente em nosso favor. Ora, nenhuma pessoa, em sã consciência, diria isso. Porém, é o que fazemos ao desprezarmos os direitos que ganhamos na Sua morte. Será que estamos agindo como loucos?

Para que a nossa libertação fosse possível, o Filho de Deus Se humilhou, tomando a nossa forma, em uma combinação de fatores organizada pelo Pai. Além de ter vindo nos salvar, e isso só seria possível com a morte na cruz, Cristo mostrou como viver de cabeça erguida neste mundo e nunca temer as ameaças do fracassado reino das trevas. A pergunta que fica é: se a Palavra de Deus é a Verdade, por que não crer nela? Infelizmente, aquele que foi vencido por Jesus está dominando a igreja e seus membros com suas mentiras e sofrimentos. Misericórdia!

Foto: Arte sobre foto de Sangia / Unsplash

O preço da nossa salvação foi altíssimo. Além de Jesus ter vertido Seu sangue em nosso favor, Ele levou as nossas enfermidades, carregou as nossas dores e sofreu o castigo que nos traz a paz (Is 53.3-5)

A ANIQUILAÇÃO DO DIABO – As Escrituras nos informam da destruição do inimigo: E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que, pela morte, aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo (Hb 2.14). Só temos de crer em nosso Pai e louvá-Lo por ter planejado e executado a nossa libertação. Não há mais como Satanás nos manter sob suas garras, pois ele foi aniquilado pelo Salvador. Logo após o pecado de Adão, o Senhor disse à serpente que colocaria inimizade entre ela e a semente da mulher (Jesus), e que aquela morderia o calcanhar da semente da mulher, mas Ele esmagaria sua cabeça (Gn 3.15). Sempre que pensar no acusador, lembre-se de que o poder de raciocinar dele já foi esmagado.

O apóstolo João escreveu que o Filho de Deus veio ao mundo a fim de destruir as operações do maligno: Quem comete o pecado é do diabo, porque o diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo (1 Jo 3.8). Não precisamos pecar, pois o tentador não nos guia mais. Todo aquele que nasce de Deus vem com poder para desfazer as obras do rei das trevas (Lc 10.19; 1 Jo 2.6).

Ao falar do ministério de Jesus, o apóstolo Pedro o resumiu de modo maravilhoso: Como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com virtude; o qual andou fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele (At 10.38). É dessa maneira que o Consolador quer escrever nos anais celestes a respeito da nossa caminhada sobre a Terra. Ele curava os oprimidos, e isso é o que o Todo-Poderoso espera de nós também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *