Carta Viva | Revista Graça/Show da Fé
Jornal das Boas-Novas – 258
01/01/2021
Carta do Pastor à ovelha – 260
01/03/2021

Carta Viva – 259

O majestoso Reino de Deus


Dizem alguns teólogos que Isaías foi o profeta mais iluminado, aquele que trouxera as maiores revelações. Não sei se isso é verdade, porém reconheço que suas profecias são autênticas, e quase todas se cumpriram. Isso nos leva a crer que as demais se realizarão na íntegra. Na visão que recebeu a respeito de Judá, o Reino de Deus, e de Jerusalém, a Igreja, percebemos que a vinda do Emanuel à Terra seria para estabelecer a Sua Casa de Oração para todos os povos (Is 56.7).

Foto: Ivana Cajina / Unsplash

O Reino de Deus se firmou no cume desses montes como o verdadeiro Reino do Senhor: Aquele que vem de cima é sobre todos, aquele que vem da terra é da terra e fala da terra. Aquele que vem do céu é sobre todos (Jo 3.31)

Essa profecia começou a se concretizar logo após a morte do Salvador na cruz do Calvário, mais especificamente no Pentecostes, quando o Espírito Santo foi derramado sobre os que obedeciam à ordem para esperar pela promessa, a fim de serem cheios – batizados – do Santo Espírito (At 1.8,9). Na descida do Consolador, a Igreja do Senhor começou a ser edificada. Assim falou o profeta: E acontecerá, nos últimos dias, que se firmará o monte da Casa do SENHOR no cume dos montes e se exalçará por cima dos outeiros; e concorrerão a ele todas as nações (Is 2.2).

O MONTE É O REINO DE DEUS – O Monte da Casa do Senhor estava começando a se firmar no cume dos montes. O que isso significa? Com propósitos bons ou não, pessoas mundo afora criaram meios de falar do Criador, mas nenhum deles é válido, pois disse Jesus: Eu, porém, não recebo testemunho de homem, mas digo isso, para que vos salveis (Jo 5.34). O Reino de Deus se firmou no cume desses montes como o verdadeiro Reino do Senhor: Aquele que vem de cima é sobre todos, aquele que vem da terra é da terra e fala da terra. Aquele que vem do céu é sobre todos (Jo 3.31). Temos de pregar as Boas Notícias do abençoadíssimo Reino eterno (Mc 1.14,15).

Tudo o que o homem faz de si mesmo para se aproximar do Criador, ou para levar ajuda aos sofredores, é vazio. Jesus disse que o Reino de Deus havia chegado e provou isso na forma como os demônios eram expelidos: Mas, se eu expulso os demônios pelo dedo de Deus, certamente, a vós é chegado o Reino de Deus (Lc 11.20). Ele não vem com aparência externa, fundada na sabedoria humana, mas em demonstração da força do Seu Nome (Lc 17.20,21). O Inferno se dobrava à autoridade de Cristo e, depois, também se submetia aos discípulos. Hoje, submete-se aos que usam, com direito, o Seu poderoso Nome.

Esse bendito Reino se exaltou sobre os outeiros – pequenos montes que surgiram por inspiração sábia de algumas pessoas, as quais também não tinham poder para nos levar a Deus nem resolver nossos problemas. Jesus falou claramente: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim (Jo 14.6).

Foto: Arquivo Graça / Solmar Garcia

Deus está preparando a Sua Igreja para esse momento especial, quando os perdidos, cansados de não encontrar a solução para seus males, irão se lembrar do que temos pregado e nos procurarão

DESPERTAMENTO ENTRE PERDIDOS – Chegará o dia em que uma das profecias de Isaías, que se encontra no capítulo 2, versículo 2, será cumprida à risca. Ele profetizou: E virão muitos povos e dirão: Vinde, subamos ao monte do SENHOR, à casa do Deus de Jacó, para que nos ensine o que concerne aos seus caminhos, e andemos nas suas veredas; porque de Sião sairá a lei, e de Jerusalém, a palavra do SENHOR (Is 2.3). Deus está preparando a Sua Igreja para esse momento especial, quando os perdidos, cansados de não encontrar a solução para seus males, irão se lembrar do que temos pregado e nos procurarão.

Este é um tempo especial, pois, se nos deixarmos ser usados plenamente pelo Altíssimo, tal atitude contará, quando Ele exercer o Seu juízo sobre as nações e repreender os muitos povos que vivem na vaidade de seus sentidos. As batalhas serão grandes para as pessoas de bem, porque, por um lado, a corrupção moral chegará ao seu limite máximo, como ocorreu com Sodoma, Gomorra e as cidades ao seu derredor. Porém, na obra da graça, a vitória se dará quando as pessoas se derem conta de que estão se destruindo mutuamente. Em Jesus, há libertação.

Então, as espadas e os demais instrumentos de ataque se converterão em ferramentas do bem, visto que não haverá mais chance de optarem pela força brutal dos armamentos humanos (Is 2.4). Mas isso será pelo Espírito Santo, como ensina a Palavra: E respondeu e me falou, dizendo: Esta é a palavra do SENHOR a Zorobabel, dizendo: Não por força, nem por violência, mas pelo meu Espírito, diz o SENHOR dos Exércitos (Zc 4.6).

As nações se converterão, ao verem que o Senhor tem razão, e Ele as abraçará com o Seu amor e a Sua disposição de perdoar. Se Abraão tivesse insistido um pouco mais, perguntando ao Juiz de toda a Terra se, havendo um único justo, Ele deixaria de destruir aquela área por causa do Seu amor, talvez tais cidades teriam permanecido de pé (Gn 18.32,33).

O patriarca deve ter sentido que seu sobrinho não conseguira converter sequer um só daqueles perdidos, que viviam oprimidos pelo erro. Mas, na dispensação do Santo Espírito, a era em que vivemos, a obra será feita como Deus falou. Aprender a guerrear nação contra nação não mais será possível, pois a verdadeira batalha será realizada pelo Espírito em favor das pessoas, e muitas se salvarão (Is 2.4).

POR QUE ISRAEL FOI DESAMPARADO – O projeto divino de eleger Israel como Seu povo é símbolo da edificação do Corpo de Cristo na Terra. O Altíssimo queria fazer deles um povo zeloso de boas obras, como é a Igreja hoje (Tt 2.14). Porém, eles se deixaram levar pelas tentações dos demais povos. Por isso, o profeta Isaías mostrou a decepção que o Céu teve com eles: Mas tu desamparaste o teu povo, a casa de Jacó; porque se encheram dos costumes do Oriente, e são agoureiros como os filisteus, e se associam com os filhos dos estranhos (Is 2.6).

É triste ver remidos pelo sangue do Cordeiro, preparados e ungidos pelo Espírito para a verdadeira batalha, deixando-se levar pelos mesmos demônios que antes os dominavam. Aonde tais incautos pensam que irão? Que o Pai os desperte do sono profundo, cheio de pesadelos eternos (2 Tm 2.25,26)! Tem misericórdia deles, Senhor!

Foto: Cole Keister / Unsplash

O projeto divino de eleger Israel como Seu povo é símbolo da edificação do Corpo de Cristo na Terra. O Altíssimo queria fazer deles um povo zeloso de boas obras, como é a Igreja hoje (Tt 2.14)

MUITA RIQUEZA E MUITA POBREZA – Nunca se viu tanto esbanjamento de riqueza quanto se viu em Judá e hoje se vê nos países do Primeiro Mundo. As pessoas desconhecem que o que lhes foi dado é para ajudar no cumprimento dos propósitos divinos? Os homens não despertam para o fato de que, por estarem vivendo no erro, tornam-se servos do diabo? Pobres vidas ricas! Elas não percebem que o maligno as engana, por isso caminham, a passos largos, em direção ao sofrimento incessante. O homem de Deus disse: E a sua terra está cheia de prata e ouro, e não têm fim os seus tesouros; também está cheia de cavalos a sua terra, e os seus carros não têm fim (Is 2.7).

Não é isso que vemos naqueles a quem muito foi dado em nossos dias? Eles precisam ser acordados, antes que caiam no abismo! Jesus disse: Mas o que a não soube e fez coisas dignas de açoites com poucos açoites será castigado. E a qualquer que muito for dado, muito se lhe pedirá, e ao que muito se lhe confiou, muito mais se lhe pedirá (Lc 12.48). Misericórdia, Pai! Açoites não!

ABUNDÂNCIA DE IDOLATRIA – Quando a vida se torna fácil, caímos em pecado. Um dos equívocos mais usados pelo diabo para tirar os crentes da presença de Deus é a idolatria, envolvendo adoração a imagens e a fé em pessoas usadas pelo Senhor ou não. Ele faz isso para condená-los ao suplício eterno. O Criador só permite ao homem inclinar-se, física ou espiritualmente, diante dEle, o Todo-Poderoso. No entanto, infelizmente, há muita gente que ignora isso, desde que possa embolsar algum dinheiro a mais. Isaías disse: Também está cheia de ídolos a sua terra; inclinaram-se perante a obra das suas mãos, diante daquilo que fabricaram os seus dedos (Is 2.8).

O resultado de atitudes assim é o cativeiro que domina os imperfeitos na fé, pois, não estando firmes em Jesus, eles são aprisionados pelas forças infernais. Não importa a posição social de alguém, nem mesmo se pertence ou não a uma igreja cristã. Se, no seu interior, há desrespeito ao Altíssimo, tal ser humano está sob o jugo do diabo. Deus falou dessa forma por intermédio do profeta: Ali, o povo se abate, e os nobres se humilham; portanto, lhes não perdoarás (Is 2.9). Não há perdão para o idólatra, feiticeiro e para qualquer outro praticante do que não está prescrito nas Escrituras, a menos que se arrependa do mal que faz a si mesmo.

Foto: Drew Mckechnie / Unsplash

Nunca se viu tanto esbanjamento de riqueza quanto se viu em Judá e hoje se vê nos países do primeiro mundo. As pessoas desconhecem que o que lhes foi dado é para ajudar no cumprimento dos propósitos divinos?

GLORIOSA SAÍDA – Vai, entra nas rochas e esconde-te no pó, da presença espantosa do SENHOR e da glória da sua majestade (Is 2.10). As rochas são duras, e adentrar nelas é praticamente impossível. A construção é tão robusta e firme que só se alguém fizer um buraco para colocar explosivos ou materiais dilatantes, ou com muita força e materiais adequados, consegue-se abrir uma fenda.

As rochas, nesse contexto, são as palavras que o Senhor colocou na Bíblia. Quando Ele abre o seu entendimento para o que está escrito,  é como uma abertura em Jesus, a Rocha (1 Co 10.4). Então, você deve entrar por essas “portas” (Sl 100.4) e refugiar-se no pó, o que significa humilhar-se. Nesse pó, você deve se esconder a fim de que o inimigo não o veja.

Alguém pode questionar: como posso respirar cercado de pó? Trata-se de uma metáfora, pois é o pó da presença espantosa do Senhor e da glória da Sua majestade. Essa experiência é vivida pela fé, mas é real. Deixe-se levar pelo Espírito e esconda-se nessa revelação fantástica do nosso Pai. O Reino de Deus é isso para os salvos, os que confiam no Senhor. Não tenha medo de se render a Ele, pois é o único jeito de escapar das trevas. Viva no maravilhoso Reino do Todo-Poderoso!

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *