Igreja | Revista Graça/Show da Fé
Medicina e Saúde – 250
01/05/2020
Missões – 252
01/07/2020

Igreja

Eber Devine - Unsplash

CUIDADO MÚTUO

A amizade entre pastores e ovelhas é recomendável, desde que seja pautada pelo respeito de ambos os lados

POR PATRÍCIA SCOTT

 A cuidadora de idosos Judith Molina Machado dos Santos, 56 anos, mantém uma antiga amizade com a Pra. Mônica Terrigno. “Quando a conheci, ela ainda não estava no ministério pastoral”, informa Judith, obreira da Igreja Internacional da Graça de Deus (IIGD) no Centro de Nova Iguaçu (RJ), liderada por Mônica. “Oramos uma pela outra. Somos confidentes”, pontua a cuidadora, evidenciando, entretanto, que, nos momentos das intervenções pastorais, a amizade fica em segundo plano. “Não tenho dificuldade de abrir meu coração para ela. Na hora da ministração, ou de alguma orientação, acato a palavra dela, pois é canal de bênção na minha vida”, diz a obreira.

Esse contato não é um fenômeno raro. Pelo contrário. Muitos crentes olham o pastor de sua igreja como amigo, considerando-o mais do que um mentor ou conselheiro. Foi o que mostrou um estudo sobre o tema, realizado pelo instituto de pesquisas norte-americano Barna Group. O levantamento ouviu cristãos de diversas denominações e constatou a prevalência de ligações de amizade entre pastor e ovelha.

A partir dessa conclusão, a reportagem de Graça/Show da Fé foi em busca de respostas para as perguntas: “É conveniente o pastor ser amigo de suas ovelhas?”; “Qual é o limite do relacionamento entre eles?”; “Qual é o ensinamento bíblico a respeito do ministério pastoral?”.

O Pr. Jackson da Silva, líder regional da IIGD em Divinópolis (MG), explica que a principal função do pastor é estar próximo do rebanho a fim de cuidar dele, ensinar-lhe, apascentá-lo e direcioná-lo. “É preciso cercá-lo com oração, proporcionando-lhe cobertura espiritual.” Além disso, é necessário que o dirigente do Corpo de Cristo busque capacitação e discernimento espiritual, vindos do Senhor, para nenhuma alma se perder. “O mundo tem oferecido vários atrativos para tirar o povo de Deus do caminho da fé”, pondera Silva, assinalando a relevância de o pastor ser amigo de seus membros. Para ele, tal proximidade os deixará mais à vontade para compartilhar suas particularidades. “A integração fica melhor, inclusive, para que se possa falar abertamente acerca de determinados assuntos.” 

“Líder espiritual” – Seguindo a mesma linha de raciocínio do Pr. Jackson, o Pr. Daniel Costa, da IIGD em Cabuçu, em Nova Iguaçu (RJ), enfatiza que essa convivência deve ser embasada no respeito. “É indispensável que o líder espiritual estabeleça um limite, para a liberdade não ser confundida com libertinagem”, frisa, ressaltando que Jesus Cristo, o maior modelo de pastoreio, chamava Seus discípulos de amigos. “Em João 10.11, está escrito: Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas”, destaca o pregador, citando também João 15.13 (Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a sua vida pelos seus amigos). [Leia, no final desta reportagem, o quadro O pastor na Bíblia] 

São nesses moldes inspirados nas Escrituras que o estudante de Agronomia e obreiro Anderson Alves dos Santos, 24 anos, tem uma sólida amizade com a pastora de sua Igreja, Verônica Araújo, da IIGD no Centro de Bandeirantes (PR). “Em primeiro lugar, está a líder espiritual; em segundo, a amiga. É preciso saber separar”, ressalva Anderson, realçando que esse trato deve ser firmado no respeito e na confiança. “Ela é acolhedora, e isso transmite segurança diante de suas orientações.”

Conforme explica a Pra. Eliad Dias dos Santos, da Igreja Metodista do Bom Retiro, em São Paulo (SP), para uma comunidade cristã ser saudável, é fundamental haver amizade, compreensão, solidariedade e respeito. “Não acredito em um ambiente com base no autoritarismo. Pastorear é orientar, conduzir.” Santos sublinha que, antes de abraçar o ministério, fez amizade com pastores e a família deles, e ela permanece até os dias atuais. Contudo, a líder reconhece que nem todas as ovelhas terão afinidades com seus pastores capazes de sustentar uma amizade. “Se isso [essa similaridade] existir, melhor.”

2 Comments

  1. Marcos goes disse:

    Ótimo trabalho!
    Após perder muito tempo na internet encontrei esse blog
    que tinha o que tanto procurava.
    Parabéns pelo texto e conteúdo, temos que ter mais
    artigos deste tipo na internet.
    Gostei muito.
    Meu muito obrigado!!!

    • Editor disse:

      Caríssimo, ore por nosso trabalho, pela revista e por todo aquele que usa o jornalismo para propagar a Palavra do Senhor. Que Deus te abençoe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *