Perfil | Revista Graça/Show da Fé
Ministério
01/11/2020
Na prateleira – 256
01/11/2020

Perfil | Rozi Santos

Foto: Rodrigo Di Castro

“Novos caminhos”

Pastora do Rio de Janeiro não imaginou que seu ministério alcançaria pessoas ao redor do mundo

Por Patrícia Scott

O sorriso largo é uma característica marcante da Pra. Rozimar Jesus dos Santos, 48 anos, mais conhecida na Igreja Internacional da Graça de Deus (IIGD) como Pra. Rozi Santos. Dinâmica, organizada e disciplinada, a líder e mãe de três filhos (Kelly, 30 anos, Keila, 29, e Nathan, 21) divide-se entre o ministério e os cuidados com a família. Nas poucas horas livres, encontra disposição para praticar ciclismo e muay thai, uma arte marcial de origem tailandesa. “O esporte faz parte da minha vida desde a infância. Meu pai sempre incentivou os filhos a exercitar o corpo em prol da saúde.”

A música, igualmente, está ligada à trajetória da pastora. Por influência paterna, ela toca violão, tamborim e tantã. “Meu pai era instrumentista; cresci em um ambiente musical.”

Sua família não foi a responsável direta por levá-la aos caminhos do Senhor. “Minha mãe estava afastada do Evangelho, e meu pai era católico.” Aos 24 anos, intrigada com questões, como a morte, o sofrimento e a Trindade, ela começou a ler a Palavra. Em 1996, passou a assistir, pela televisão, às pregações do Pr. Jayme de Amorim Campos, líder estadual da Igreja da Graça em São Paulo. Foi quando sua irmã precisou ser internada devido a um surto psicótico. “Assistindo a uma ministração do Pr. Jayme, compreendi que ela estava sendo vítima de ataques malignos. Pelo poder da oração, minha irmã foi liberta”, atesta a pastora, assinalando que, naquela ocasião, seus olhos foram abertos para o mundo espiritual. 

A Pra. Rozi Santos, com o filho Nathan, hoje com 21 anos: cuidado com o ministério e a família Foto: Reprodução / Facebook

Mais tarde, a Pra. Rozi começou a congregar na IIGD na Freguesia, zona oeste do Rio de Janeiro (RJ). À medida que se firmava na fé, aumentava seu envolvimento com a obra do Mestre. “Comecei a evangelizar a população de rua, fazia visitas nos lares e prestava atendimento aos que chegavam à Igreja.” A partir dessas experiências, ela entendeu que o Senhor a estava chamando para se dedicar ao ministério em tempo integral. “Pedi confirmação a Deus, e a resposta veio pela Palavra.”

Grandes desafios – Rozimar Santos foi consagrada ao ministério da Palavra em 2009, pelas mãos do Pr. Ednilson Lima, então líder regional da IIGD na Freguesia. “Passei a auxiliá-lo. Depois, fui enviada para assumir a Igreja em Vargem Grande [também na zona oeste carioca]”, relata a pastora, atualmente à frente da Igreja da Graça na Taquara, em Jacarepaguá.

Seu ministério tem sido marcado pelo agir sobrenatural do Senhor. Uma das histórias mais impressionantes que ela testemunhou foi o caso de uma jovem depressiva, que não saía de casa havia sete anos. “Ela não interagia com ninguém. Os movimentos eram robóticos devido aos medicamentos. Estava quase sempre dormindo e não tomava banho”, conta a pastora. “Aos poucos, Deus começou a agir. Jesus a restaurou de maneira extraordinária. Jamais me esquecerei.”

No entanto, vitórias como essa são precedidas de grandes desafios, e o maior deles é caminhar na dependência divina, sob a orientação do Espírito Santo. “Cuido de vidas, então é fundamental a condução de Cristo em cada aconselhamento, em cada palavra ministrada.”

Pra. Rozimar Jesus dos Santos, mais conhecida na IIGD como Pra. Rozi Santos: “Ele sempre nos mostra novos caminhos. Nossa parte é obedecer e confiar” Foto: Rodrigo Di Castro

O ministério dela não se restringe à IIGD na Taquara. Por meio do programa Cheias de Graça, transmitido de segunda a sexta-feira, às 13h, pela Rádio Relógio (580 AM do Rio de Janeiro), Rozi leva a mensagem de Cristo a muita gente geograficamente distante de sua Igreja. “Conseguimos alcançar ouvintes de várias partes do Brasil, inclusive do exterior, porque o programa pode ser acessado pela internet.”

Durante a pandemia do novo coronavírus, a Pra. Rozi Santos descobriu o poder e o alcance das redes sociais, quando começou a fazer lives pelo Instagram. “Nunca imaginei estar em transmissões ao vivo, mas foi a estratégia do Senhor para atingir um maior número de pessoas durante o isolamento social.” Independentemente do momento adverso, a pastora entende que essa foi uma porta aberta pelo Altíssimo para a transmissão de Sua mensagem também àqueles que são resistentes a frequentar uma igreja. “Ele sempre nos mostra novos caminhos. Nossa parte é obedecer e confiar, para que o propósito do Senhor se cumpra.”


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *