Missões | Revista Graça/Show da Fé
Carta do Pastor à ovelha – 247
01/02/2020
Jornal das Boas-Novas – 247
01/02/2020
Exibir tudo

Missões – 247

Sob ameaça

Foto: Reprodução

No Iraque, país de 40 milhões de habitantes situado no Oriente Médio, a situação dos cristãos na Planície de Nínive ainda continua tensa, passados dois anos desde a queda do Estado Islâmico (EI). Na região, considerada o coração do cristianismo daquela nação, as milícias de muçulmanos xiitas (foto) que ajudaram a expulsar os terroristas agora querem os cristãos fora de suas casas. Tem havido relatos de líderes eclesiásticos sendo ameaçados, mulheres cristãs sendo assediadas e pessoas sendo intimidadas a vender suas propriedades, informou Daniel Hoffman, da organização missionária internacional Middle East Concern (em português, Preocupação com o Oriente Médio).

Desde a queda do ditador Saddam Hussein, em 2003, o Iraque se transformou em um Estado fraco e instável, onde grassa a corrupção e há espaço para a atuação de grupos terroristas e extremistas religiosos armados. (Élidi Miranda, com informações de Mission Network News – MNN)


Menino assassinado

Foto: Reprodução

O Boko Haram (foto), grupo paramilitar terrorista formado na Nigéria, país do noroeste da África de 203 milhões de habitantes, tem ampliado suas fronteiras. A presença dos milicianos vem trazendo pânico ao país vizinho, Camarões, nação de 26 milhões de habitantes. Recentemente, um cristão camaronês de apenas 12 anos foi brutalmente assassinado pelos extremistas. O garoto havia fugido de casa com sua mãe quando esses homens invadiram o vilarejo em que moravam. Entretanto, o adolescente foi capturado e morto por resistir à investida dos revolucionários de levá-lo à força dali para transformá-lo em um soldado mirim.

O grupo extremista pretende instalar um califado – uma forma de governo monárquico muçulmano – do Nordeste da Nigéria até o Norte de Camarões. Por causa da violência, mais de 170 mil camaroneses (em sua maioria, cristãos) já foram forçados a abandonar seus lares. (Élidi Miranda, com informações de Barnabas Fund)


Sem liberdade

Foto: Reprodução

Uganda, nação da África Central de 41 milhões de habitantes, é majoritariamente cristã: 84% da população está ligada a alguma igreja (a maioria, católica). No entanto, a liberdade religiosa está seriamente ameaçada, especialmente depois que o governo de Kampala obrigou 12 mil igrejas e organizações (quase todas evangélicas) a encerrar suas atividades. O argumento é que as instituições deveriam ter se registrado oficialmente. Mas, segundo fontes locais, ninguém foi comunicado como se daria o processo de recadastramento. Há informes de que o regime comandado por Yoweri Museveni (foto) estuda controlar também a formação dos pastores e, para isso, pretende criar um curso de ministros do Evangelho oficial obrigatório a ser oferecido pelo Estado. (Élidi Miranda, com informações de Religion Unplugged)


Sinal de alerta

Foto: Bernadett Szabo/ Reuters

A situação dos cristãos na Turquia – nação euroasiática de 81 milhões de habitantes – é de crescente perigo. Fontes locais têm informado que diversos pastores estão sofrendo ameaças de morte. Recentemente, um missionário coreano foi assassinado, aumentando o nível de preocupação entre os cristãos que vivem no país. De acordo com as autoridades, o evangelista teria sido vítima de um assalto seguido de morte. Porém, para os cristãos locais, a vítima foi executada. Somos ameaçados constantemente, informou um evangelista local.

O clima de animosidade contra aqueles que pregam o Evangelho aumentou muito nos últimos anos em território turco. Vários missionários estrangeiros já foram deportados por ordem do regime ditatorial de Recep Tayyip Erdogan (foto), sob a acusação de terrorismo. Os remanescentes estão sendo constantemente vigiados. (Élidi Miranda, com informações de The Christian Post)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *