Saudáveis Advertências | Revista Graça/Show da Fé
Telescópio – 264
15/07/2021
Carta do Pastor à ovelha – 265
15/08/2021

Saudáveis Advertências – 265

Foto: National Cancer Institute / Unsplash

Conversas importantes

Reunir a família para fazer refeições à mesa, longe de tablets, celulares e TVs, contribui para o aprendizado da linguagem entre os pequenos. Um estudo do Instituto Nacional da Saúde e da Pesquisa Médica da França demonstrou a importância das trocas verbais entre adultos e crianças, no momento da refeição, para o desenvolvimento da fala.

Os pesquisadores acompanharam 1.562 crianças durante vários anos. Eles notaram que, aos cinco anos e meio, aquelas que foram expostas à televisão, durante as refeições em família (foto), tinham uma capacidade de verbalização inferior à daquelas as quais não estavam em contato com eletrônicos enquanto se alimentavam.

De acordo com os autores da sondagem, a linguagem é uma prática social, e a interação humana desempenha um papel importante em sua aquisição. Dessa forma, a capacidade de comunicação dos pequenos é fortemente influenciada pelo meio em que estão inseridos, ou seja, por interações com os pais, irmãos e irmãs, bem como com outras crianças, afirma o trabalho publicado na revista especializada Scientific Reports. (Élidi Miranda, com informações de UOL Notícias)


Foto:  Arte sobre foto de Paola Chaaya / Unsplash

Propensão hereditária

Não é novidade a informação de que a depressão e a ansiedade são distúrbios multifatoriais que sofrem forte influência genética. Porém, um estudo realizado na Austrália demonstrou a existência de 509 genes relacionados ao desenvolvimento da depressão e da ansiedade. A pesquisa é pioneira por ter sido capaz de identificar, pela primeira vez, um número tão grande de genes compartilhados por ambos transtornos. O trabalho, liderado pelo QIMR Berghofer Medical Research Institute (Instituto de Pesquisas Médicas QIMR Berghofer), em Brisbane, foi disponibilizado na revista científica Nature Human Behaviour.

Aliada à propensão hereditária, tanto a depressão quanto a ansiedade podem ser desencadeadas por fatores, como características próprias da personalidade, eventos estressantes e mudanças na composição química dos neurotransmissores. Embora a depressão e a ansiedade sejam doenças similares e costumam surgir juntas, elas são diferentes. A primeira está associada à perda de prazer, enquanto a segunda gera irritabilidade constante, esclarece a médica Lívia Salomé, especialista em Medicina do Estilo de Vida pela Universidade de Harvard. (Élidi Miranda, com informações de Doppler)


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *