Missões | Revista Graça/Show da Fé
Alimentação normal
13/06/2024
Plenitude ou perfeição espiritual no Novo Testamento
14/06/2024
Alimentação normal
13/06/2024
Plenitude ou perfeição espiritual no Novo Testamento
14/06/2024

COMPARTILHE

Sem liberdade

Foto: Reprodução / Facebook

Ser cristão é um enorme desafio para quem vive em algumas comunidades nativas do México, nação de 131 milhões de habitantes situada ao sul da América do Norte. Em abril, mais de cem membros de uma igreja batista foram obrigados a deixar suas residências nos vilarejos indígenas de Coamila e Rancho Nuevo (foto ilustrativa), no estado de Hidalgo, no Sul do país. Líderes das duas aldeias cortaram a eletricidade e bloquearam o caminho para os templos e para as casas dos servos de Deus. De acordo com informações, 139 pessoas ficaram desalojadas, incluindo bebês e crianças. Essas famílias se dirigiram à cidade de Huejutla de Reyes, em busca de abrigo e para cobrar providências às autoridades.

O motivo da perseguição é religioso: as lideranças indígenas exigem que os cristãos sigam a religião local, que mistura o catolicismo romano e as tradições ancestrais. Embora a constituição mexicana assegure a liberdade de crença, o governo pouco faz para garantir o cumprimento da lei. (Élidi Miranda com informações de Christian Solidarity Worldwide – CSW)


Falsas alegações

Foto: Alexander Berdyugin / Gerado com IA – Adobe Stock

O Irã, nação de maioria islâmica, é composto por 88 milhões de habitantes e está  localizado no Oriente Médio. O país voltou à cena mundial por causa dos conflitos com Israel. Entretanto, longe da atenção midiática, a situação dos cristãos no território iraniano tem se deteriorado rapidamente. Estima-se que existam 200 crentes em Jesus presos por falsas alegações religiosas. O governo de Teerã tem detido cidadãos que são pegos em flagrante ensinando o que a lei classifica como atividades que desviam e contradizem a religião sagrada do islã.

Esse tipo criminal surgiu em 2021, quando foi aprovada uma emenda ao artigo 500 do Código Penal iraniano. Desde então, pelo menos 14 cristãos já foram presos e condenados com base na nova legislação (foto ilustrativa). Em novembro, o Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) pressionou o Irã para revogar ou alterar o artigo 500, reconhecendo o potencial da lei para suprimir a liberdade religiosa e a liberdade de expressão, especialmente de grupos minoritários religiosos. (Élidi Miranda com informações de Article 18)


Gravemente feridos

Foto: Morning Star News

Dois cristãos foram feridos a golpes de espada por quatro integrantes de um grupo de Nihangs – guerreiros tradicionais da Índia, nação asiática de 1,4 bilhão de habitantes. Os agressores possuem permissão para portar esse tipo de arma e decidiram usá-las contra o Pr. Gurjeet Singh e o irmão mais novo dele, Gurdeep Singh (foto), na vila de Sultanwind, em Punjab, estado no Norte do país.

No dia do ocorrido, Gurdeep estava sozinho na casa onde são realizados os cultos da congregação. Ao chegarem ao local, os criminosos disseram: Nós avisamos você anteriormente para fechar a igreja e não converter as pessoas, mas você não prestou atenção. Quando o Pr. Gurjeet tomou conhecimento do fato, correu até o local e também foi agredido. Eles estavam mirando na cabeça dele, informou Daljit Kaur, esposa do pregador e testemunha do crime. Na tentativa de se defender, Gurdeep sofreu graves ferimentos nas mãos e nos braços. Até o fechamento desta edição, as autoridades não haviam tomado providências legais contra os responsáveis pelo ataque. (Élidi Miranda com informações de Morning Star News)


Príncipe da Paz

Foto: Miros / Adobe Stock

Há um ano, a guerra entre o exército sudanês e o grupo rebelde RSF imergiu o Sudão, nação do Norte da África de 50 milhões de habitantes, em uma das maiores crises humanitárias do mundo, deixando milhões assolados pela fome. Nos campos de refugiados (foto), para onde milhões de pessoas se deslocaram, muitos estão comendo terra e mato para sobreviver. De acordo com uma fonte local, os rebeldes saqueiam constantemente os caminhões que transportam itens essenciais para os necessitados. Além disso, a intolerância religiosa é uma realidade no país, e os cristãos são as principais vítimas. Os extremistas islâmicos atacam os seguidores de Jesus sob o argumento de que precisam eliminar a influência dos infiéis da cultura sudanesa. No entanto, apesar desse cenário desolador, a Palavra de Deus tem sido anunciada. Em diversas zonas de refúgio, os servos de Cristo estão apresentando aos sudaneses a mensagem do Príncipe da Paz por meio de estudos bíblicos. (Élidi Miranda com informações de Mission Network News)


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *