Missões | Revista Graça/Show da Fé
Família – 274
01/05/2022
Carta do Pastor à ovelha – 276
01/07/2022

COMPARTILHE

Aldeia convertida

Foto: Missão Portas Abertas

Uma aldeia inteira se converteu na Etiópia (foto), nação do Norte da África de 114 milhões de habitantes. Um missionário local estava pregando no povoado, contando histórias bíblicas – uma estratégia de evangelização muito utilizada em comunidades onde as pessoas não dominam a leitura ou quando a língua falada não possui registro escrito.

Ao final de cada narrativa, geralmente, o contador dá ao grupo a oportunidade de fazer perguntas. Depois de ouvir sobre Cristo, o líder da aldeia, que também era o imame (sacerdote islâmico), questionou o missionário se o Jesus da história que acabara de ouvir ainda fazia milagres hoje. Ele explicou que sua filha, de dez anos, havia desaparecido dias atrás, e ninguém tinha sido capaz de encontrá-la.

Em desespero, o líder islâmico disse que, se Jesus o ajudasse a encontrar a menina, ele se tornaria um de Seus seguidores. O missionário orou pela situação, e, no dia seguinte, a criança reapareceu. O imame se entregou ao Senhor, e toda a sua família também creu no Evangelho. Com o passar do tempo, a aldeia se tornou cristã. (Élidi Miranda, com informações de God Reports)


Marido envenenado

Foto: Reprodução / Morning Star News

Um homem quase foi morto pela própria esposa em Uganda, nação de 46 milhões de habitantes da África Oriental, apenas por ter se tornado cristão. Hiire Sadiki, 56 anos, morava com a esposa e os três filhos no distrito de Butaleja, no Leste do país. Ele era xeque – um islamita respeitado – do vilarejo. Contudo, depois de meses debatendo com um pastor, Sadiki decidiu abandonar o Islã e crer em Cristo como Salvador. A princípio, manteve segredo sobre a nova fé, mas, com o início do Ramadã, mês de jejum muçulmano, revelou que se tornara cristão, o que enfureceu sua mulher.

Assim que constatou que seu cônjuge havia cometido apostasia – afastou-se da fé islâmica –, ela decidiu matá-lo. Naquela noite, enquanto preparava o jantar, colocou veneno para ratos no prato do marido. Assim que comeu, Sadiki (foto) passou mal e foi levado por amigos a um hospital, onde permanece internado em estado grave. A esposa fugiu de casa com os filhos. (Élidi Miranda, com informações de Morning Star News)


Avivamento espiritual

Foto: Eddy Billard / Unsplash

O Sri Lanka, nação insular ao sul da Índia, de 23 milhões de habitantes, atravessa uma profunda crise social e econômica. Faltam alimentos, gás de cozinha e combustíveis, como gasolina e diesel. Diante desse quadro tão grave, que tem gerado fortes protestos da população, os cristãos vêm se mobilizando em oração. De acordo com líderes locais, as igrejas estão testemunhando um mover sobrenatural de Deus. Nunca vi as pessoas no Sri Lanka orarem tanto quanto agora. Vinte e quatro horas por dia, pastores e líderes estão se reunindo. Esse momento de intensa oração já dura dois anos, já que vivemos um contexto de escuridão espiritual, revelou um cristão local.

A maioria da população (foto) é budista, visto que todo cingalês é considerado, naturalmente, um adepto dessa religião. Os cristãos, por fugirem a essa regra, são tratados como cidadãos de segunda classe e, por isso, frequentemente sofrem perseguição. (Élidi Miranda, com informações de Mission Network News – MNN e Missão Portas Abertas)


Cristãos presos

Foto: Reprodução

Forças de segurança da Eritreia – nação do Nordeste da África de 6 milhões de habitantes – prenderam 29 cristãos que participavam de um culto de oração em uma igreja doméstica. Lá, qualquer tipo de reunião religiosa é considerada ilegal se não for realizada por igrejas que tenham prévia autorização estatal. Como a maior parte das comunidades cristãs não é reconhecida pelo governo de Asmara, de maneira geral, todas as atividades evangélicas na Eritreia são passíveis de punição.

Um cristão local informou que a perseguição aos cristãos vem aumentando no país. Tem havido muitas prisões nos últimos seis meses, informou o missionário Emelash Berhane, que pastoreia uma igreja de migrantes da Eritreia que foram para a Inglaterra. Segundo ele, o governo do ditador Isaias Afewerki (foto) quer erradicar o cristianismo evangélico no país. Quando os cristãos dizem que Jesus é o Senhor, para eles, é um insulto, pois querem ser os senhores da terra. Isso é o caráter típico do presidente da Eritreia. Ele quer ser adorado, não apenas obedecido. É a mesma coisa que acontece na Coreia do Norte, comentou Berhane. (Élidi Miranda, com informações de Mission Network News


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.