Na prateleira | Revista Graça/Show da Fé
Carta do Pastor à ovelha – 265
15/08/2021
Na prateleira – 266
14/09/2021

Na prateleira – 265

Chamado à santidade

De acordo com o apóstolo Paulo, nos últimos dias, os homens seriam amantes do dinheiro, dos prazeres e de si mesmos (2 Tm 3.2-4). Jesus também advertiu Seus seguidores a esse respeito, informando que o amor de muitos esfriaria (Mt 24.12). Apesar dos avisos, inúmeros cristãos permanecem fascinados pelas ofertas do mundo atualmente, mesmo sabendo que elas os levarão à perdição eterna. Esse é o tema central de Contaminados pela Babilônia, do autor e conferencista norte-americano Steve Gallagher. A obra, publicada pela Graça Editorial, é uma advertência aos cristãos modernos e um convite à santidade e consagração a Deus.

O autor lembra que a Igreja é a Noiva de Cristo, porém, hoje, em lugar de se guardar pura para o noivo, tem se tornado uma mulher adúltera, enquanto espera pelo dia do casamento. É destacado, no livro, que os cristãos são chamados para viver a devoção simples (sem mistura) e pura (não poluída) a Jesus (p.17). Em vez disso, gastam quase todo o seu tempo com diversões. A sociedade se tornou tão viciada em entretenimento que é incapaz de conceber a vida sem ele (p. 162).

Além disso, segundo o autor, muitos vivem mergulhados no pecado e, ainda, encontram justificativas para seus desvios: “Eu bebo, pois fui criado na casa de um alcoólatra; Sinto raiva dos outros, pois meu pai era mau; Cedo à fantasia sexual, pois Deus me criou assim e não deseja que eu resista aos meus impulsos naturais (p. 204).

A partir desses e outros aspectos abordados no texto, Gallagher compara o mundo à Babilônia, a qual representa o poder de Satanás de operar no coração da humanidade (p.15). Em contraste, o autor apresenta o chamado de Deus para que Seus filhos andem no caminho da santificação: Ao falar de santidade, não nos referimos à ausência de pecado. No entanto, o cristão pode e deve alcançar um patamar em sua vida no qual não seja controlado pelas tendências da carne (p. 87).

Afinal, no Céu, a habitação do Deus santo, não há espaço para aqueles que se dizem cristãos, mas preferem viver contaminados pela Babilônia. (Ana Cleide Pacheco)


Contaminados pela Babilônia
Steve Gallagher
Graça Editorial


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *